fbpx
Pular para o conteúdo

A arte final não inclui a marca d’água do PetPosts.

Post 115

R$5,50

Este conteúdo faz parte do site PetPosts. A cópia e uso (total ou parcial) sem a respectiva compra constitui USO INDEVIDO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL, passível de punição nos termos da lei, incluindo multa e detenção. Seu IP foi registrado e poderá ser utilizado para fins legais em caso de uso indevido deste conteúdo.
– Este é um post de conteúdo. As cores da imagem e a posição da sua personalização são exatamente as mesmas que você vê nesta amostra.
– A arte é entregue em arquivo de imagem (JPG), 100% pronta (não-editável), sem a marca d’água do PetPosts.
– Os posts não são entregues sem personalização.

Texto com 309 palavras

A “doença do carrapato” é uma hemoparasitose – uma doença do sangue -, causada por bactérias ou protozoários, e transmitida pelo carrapato marrom.

A “doença do carrapato”, na verdade, são duas doenças: a erliquiose e a babesiose. Ambas podem acometer o cão ao mesmo tempo, agravando ainda mais o seu quadro clínico. Elas estão entre que mais assustam os tutores, pois embora exista tratamento, não existe vacina de prevenção. São doenças curáveis, mas potencialmente graves e fatais, se não tiverem o tratamento adequado.

A Erliquiose é uma doença infecciosa severa, causada por bactérias que destroem os glóbulos brancos do cão. Raramente atinge gatos ou pessoas. Já a Babesiose é causada por um protozoário, que infecta e destrói os glóbulos vermelhos.

Ao longo do tempo, o animal manifesta sintomas como febre, falta de apetite, perda de peso, anemia, cansaço, inchaço nas patas e insuficiência renal aguda (redução da urina ou urina escura). Pode haver também sangramento nasal, urinário, manchas na pele, dificuldades respiratórias, pneumonias e diarreias.

O principal vetor de contaminação é carrapato marrom, Rhipicephalus sanguineus. É preciso, portanto, evitar ao máximo o possível contato do cão com o carrapato. Esses insetos preferem ambientes com pouca luz e, para infectar um cão, precisam ficar presos à sua pele, sugando seu sangue por algumas horas. Quando um carrapato infectado sugar o sangue de um outro cão, este também é infectado.

É importante ficar atento à limpeza do ambiente, certificando-se de que não existam carrapatos. Inspecione com frequência seu pet, especialmente após os passeios, para que ele não tenha carrapatos.

Quanto mais cedo for diagnosticada a doença, maiores são as chances de recuperação e cura do seu amigão. Leve-o regularmente ao médico-veterinário e fique atento a mudanças em sua saúde e comportamento. Seu amigo pode brincar livre e passear tranquilo, se você tomar o devido cuidado e não der brecha para os carrapatos!

#zoonoses #doençadocarrapato #doencadocarrapato #meupetevida #carrapato #erliquiose

A “doença do carrapato” é uma hemoparasitose – uma doença do sangue -, causada por bactérias ou protozoários, e transmitida pelo carrapato marrom.

A “doença do carrapato”, na verdade, são duas doenças: a erliquiose e a babesiose. Ambas podem acometer o cão ao mesmo tempo, agravando ainda mais o seu quadro clínico. Elas estão entre que mais assustam os tutores, pois embora exista tratamento, não existe vacina de prevenção. São doenças curáveis, mas potencialmente graves e fatais, se não tiverem o tratamento adequado.

A Erliquiose é uma doença infecciosa severa, causada por bactérias que destroem os glóbulos brancos do cão. Raramente atinge gatos ou pessoas. Já a Babesiose é causada por um protozoário, que infecta e destrói os glóbulos vermelhos.

Ao longo do tempo, o animal manifesta sintomas como febre, falta de apetite, perda de peso, anemia, cansaço, inchaço nas patas e insuficiência renal aguda (redução da urina ou urina escura). Pode haver também sangramento nasal, urinário, manchas na pele, dificuldades respiratórias, pneumonias e diarreias.

O principal vetor de contaminação é carrapato marrom, Rhipicephalus sanguineus. É preciso, portanto, evitar ao máximo o possível contato do cão com o carrapato. Esses insetos preferem ambientes com pouca luz e, para infectar um cão, precisam ficar presos à sua pele, sugando seu sangue por algumas horas. Quando um carrapato infectado sugar o sangue de um outro cão, este também é infectado.

É importante ficar atento à limpeza do ambiente, certificando-se de que não existam carrapatos. Inspecione com frequência seu pet, especialmente após os passeios, para que ele não tenha carrapatos.

Quanto mais cedo for diagnosticada a doença, maiores são as chances de recuperação e cura do seu amigão. Leve-o regularmente ao médico-veterinário e fique atento a mudanças em sua saúde e comportamento. Seu amigo pode brincar livre e passear tranquilo, se você tomar o devido cuidado e não der brecha para os carrapatos!

#zoonoses #doençadocarrapato #doencadocarrapato #carrapato #erliquiose

R$5,50

Conheça também outros posts:

  • Post 184

    Ler texto R$5,50 Comprar
  • Post 196

    Ler texto R$5,50 Comprar
  • Post 274

    Ler texto R$5,50 Comprar
  • Post 080

    Ler texto R$5,50 Comprar

O que vou receber ao fazer uma compra?

Cada um dos posts inclui:

1. Arte com imagem em alta resolução, personalizada com seu nome e seus dados. A arte final não conterá a marca d’água, nem qualquer referência ao PetPosts.

2. Texto/Descrição, com informações confiáveis, de alta qualidade e fácil leitura. Conteúdo profissional, com um toque divertido sensível e inteligente, que vai encantar quem ama pets! Média de 300 palavras por texto. Você poderá editá-los, se desejar.

3. Hashtags relevantes, para você se destacar, mesmo para quem ainda não é seu seguidor. Você também poderá editar suas hashtags, se desejar.

Quando vou receber meus posts personalizados?

Após sua compra e confirmação do pagamento, nossa equipe entrará em contato com você para definir a personalização dos seus posts, em até 1 dia útil. Você poderá adicionar sua logomarca (veja as especificações) ou seu nome, CRMV e telefone. Definida a personalização, ela será aplicada a todos os posts comprados por você.

Você receberá, então, um e-mail com todos os posts personalizados, seus respectivos textos e hashtags. Pronto! Você poderá postar nas redes sociais que desejar. Veja este vídeo, que explica como passo a passo como fazer as postagens.

Lembre-se de postar com a maior frequência possível! Isto gera maior sua visibilidade, aumenta o número de potenciais seguidores e favorece o engajamento deles com seu conteúdo!

//